Jump to content

Theme© by Fisana
 

Photo
- - - - -

Maior aquífero do mundo fica no Brasil e abasteceria o planeta por 250 anos 125 Carlos Madeiro Do UOL, em Maceió 21/03/2015. <posted by macaense>


  • Please log in to reply
6 replies to this topic

#1 macaense

macaense

    Advanced Member

  • Members
  • PipPipPip
  • 7539 posts

Posted 23 March 2015 - 10:23 AM

Maior aquífero do mundo fica no Brasil e abasteceria o planeta por 250 anos

 

http://noticias.uol....or-250-anos.htm

 

Carlos Madeiro
Do UOL, em Maceió

21/03/201506h00
 
Ouvir texto
0:00
Imprimir Comunicar erro

Imagine uma quantidade de água subterrânea capaz de abastecer todo o planeta por 250 anos. Essa reserva existe, está localizada na parte brasileira da Amazônia e é praticamente subutilizada.

Até dois anos atrás, o aquífero era conhecido como Alter do Chão. Em 2013, novos estudos feitos por pesquisadores da UFPA (Universidade Federal do Pará) apontaram para uma área maior e nova definição.

"A gente avançou bastante e passamos a chamar de SAGA, o Sistema Aquífero Grande Amazônia. Fizemos um estudo e vimos que aquilo que era o Alter do Chão é muito maior do que sempre se considerou, e criamos um novo nome para que não ficasse essa confusão", explicou o professor de Instituto de Geociência da UFPA, Francisco Matos.

Segundo a pesquisa, o aquífero possui reservas hídricas estimadas preliminarmente em 162.520 km³ --sendo a maior que se tem conhecimento no planeta. "Isso considerando a reserva até uma profundidade de 500 metros. O aquífero Guarani, que era ao maior, tem 39 mil km³ e já era considerado o maior do mundo", explicou Matos.

 

sistema-arquifero-1426795419821_600x400.

O aquífero está posicionado nas bacias do Marajó (PA), Amazonas, Solimões (AM) e Acre --todas na região amazônica-- chegando até a bacias sub-andinas. Para se ter ideia, a reserva de água equivale a mais de 150 quatrilhões de litros. "Daria para abastecer o planeta por pelo menos 250 anos", estimou Matos. 

O aquífero exemplifica a má distribuição do volume hídrico nacional com relação à concentração populacional. Na Amazônia, vive apenas 5% da população do país, mas é a região que concentra mais da metade de toda água doce existente no Brasil.

Por conta disso, a água é subutilizada. Hoje, o aquífero serve apenas para fornecer água para cidades do vale amazônico, com cidades como Manaus e Santarém. "O que poderíamos fazer era aproveitar para termos outro ciclo, além do natural, para produção de alimentos, que ocorreria por meio da irrigação. Isso poderia ampliar a produção de vários tipos de cultivo na Amazônia", afirmou Matos.

Para o professor, o uso da água do aquífero deve adotar critérios específicos para evitar problemas ambientais. "Esse patrimônio tem de ser visto no ciclo hidrológico completo. As águas do sistema subterrâneo são as que alimentam o rio, que são abastecidos pelas chuvas. Está tudo interligado. É preciso planejamento para poder entender esse esquema para que o uso seja feito de forma equilibrada. Se fizer errado pode causar um desequilíbrio", disse.

Mesmo com a água em abundância, Matos tem pouca esperança de ver essa água abastecendo regiões secas, como o semiárido brasileiro. "O problema todo é que essa água não tem como ser transportada para Nordeste ou São Paulo. Para isso seriam necessárias obras faraônicas. Não dá para pensar hoje em transportar isso em distâncias tão grandes", afirmou.


Edited by macaense, 23 March 2015 - 10:25 AM.

  • 0

#2 macaense

macaense

    Advanced Member

  • Members
  • PipPipPip
  • 7539 posts

Posted 23 March 2015 - 11:01 AM

Comentários 125
Comentar com:
  • Facebook
  • Twitter
  • Perfil UOL

nopic.gif

Escreva seu comentário...

  1. nopic.gif

    ZXgh

    14 horas atrás

    Quero ver o nosso exército sucateado defender esse aqüífero, ate 2030 vai ter conflitos por agua

  2. jovem1725.jpg

    Quiririm

    16 horas atrás

    OBRAS FARAÔNICAS? OPA! OLHA O PT AÍ GENTE PARA VIABILIZAR O PROJETO COM CONSULTORIA DO JOSÉ DIRCEU. FORA DILMA!

  3. nopic.gif

    justiceiroseattle

    17 horas atrás

    Sobre o assunto do arquífero, claro que daria para implantar uma ligação de canos com bombas e fazer a água chegar nesses locas só que para isso é preciso gastar dinheiro coisa que o governo não quer pois quanto mas gastar com a população menos para eles roubarem. USA e Canadá estão discutindo um plano de trazer petróleo do Alasca para USA cortando todo Canadá via cano e bomba.

  4. a6e8c2877deab2c801d5683757fed3fa_normal.

    Lions

    19 horas atrás

    Outro, sobre outro: "Antes do senhor se sentir orgulhoso em trabalhar neste empreendimento,procure deixar um pouco suas planilhas e conhecer a realidade dessas cidades.Por causa de alguns trocados nossos filhos ainda ficarão sem água na mesa,como já vem acontecendo em alguns lugares que se instalaram esses mineriodutos.E não adianta dizer que essas cidades serão beneficiadas com isso por que os prejuizos ambientais serão muito maiores que o retorno financeiro.E eu gostaria que o senhor me explicasse como esses municipios ficariam mais desenvolvidos com um monte de tubo enterrado.Como aqui no Brasil não existe critério e nem respeito as leis ambientais,juristas como o senhor estarão sempre orgulhosos ao verem as cifras embutidas nessas obras que se dizem importantes para as regiões envolvidas.Como minha resposta a esta sua mensagem veio meio tardia,nem sei se ainda trabalha nesta obra megalomaníaca..."

  5. a6e8c2877deab2c801d5683757fed3fa_normal.

    Lions

    19 horas atrás

    alguém opinou assim, desconhecia o assunto: "O maior mineroduto do mundo está em uma área de alto índice de pobreza." E vai continuar pobre do mesmo jeito,..Isso sem falar da quantidade de água jogado no ralo pra empurrar esssa lama criada pela Anglo American.

  6. a6e8c2877deab2c801d5683757fed3fa_normal.

    Lions

    20 horas atrás

    SP se recusa a ser humilde diante de Deus. Zombam até das paróquias que querem orar. Por isto a obra para levar água para SP tem que ser faraônica.

    1. 10923203_780682742021568_179065653008219

      Cleiton Sz Maiara

      19 horas atrás

      Eu sou de sp , e vc esta se equivocando !!!

  7. nopic.gif

    serumanoide

    20 horas atrás

    Pouca gente sabe. Mas foram construídos mineriodutos gigantescos para bombear minério de ferro até Porto do rio. Acreditam? O minério e bombeado misturado em... Água. A Uol pode publicar uma matéria esclarecedora sobre o assunto?milhares de toneladas de água. Parte dela segue junto com o minério. Grande parte para a China. Um destes foi feito pelo senhor eike de Oliveira. Por que fala se tão pouco sobre isso? A matéria pode esclarecer se há relação com crise do Cantareira ou quais os impactos destes mineriodutos... Por que não se fala sobre isso no dia mundial da H2O?

  8. a6e8c2877deab2c801d5683757fed3fa_normal.

    Lions

    20 horas atrás

    Vou dizer: quem mais está de olho nessa água é S Paulo, pelo que li. Vão chorar no Cantareira e depois, somente depois, mostrem a bufunfa não para exigir, mas para NEGOCIAR qualquer obra para fornecimento para esse Estado, a locomotiva que não tem mais de onde pegar carvão para andar pelos seus suntuosos trilhos.

  9. nopic.gif

    serumanoide

    20 horas atrás

    Ainda se fala pouco sobre preservação das áreas de manancial, matas ciliares, empermeabilizacao do solo poluição criminosa ou não , plantio de árvores... Esta proposta maluca eh similar ao uso do petróleo, tido como barato e cujos custos nos chegam hoje. Pouco se fala sobre a necessidade urgente de mudança no nosso modo extrativistade vida. E me vem está notícia perigosa sobre como zuar o ecossistema para manter nosso nível de consumo. Considero a matéria superficial frente a gravidade da situação. Acorda humanidade. Não eh um sonho. O pesadelo eh real. Menos consumo. Menos poluição. Mais vida. Menos negócios.

  10. animados023.gif

    MCAbbud

    22 horas atrás

    Por isso que digo que o problema do mundo não é agua doce e sim energia, com ela em abundância , custos reduzidos e baixa ou nenhuma emissao de CO2, seria possível tratar, desanilizar e transportar agua doce para qualquer lugar do mundo.

Página 1 de 13

  1. Anterior
  2. Próxima
Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso

  • 0

#3 macaense

macaense

    Advanced Member

  • Members
  • PipPipPip
  • 7539 posts

Posted 23 March 2015 - 01:59 PM

Recent Topics
  • 0

#4 macaense

macaense

    Advanced Member

  • Members
  • PipPipPip
  • 7539 posts

Posted 23 March 2015 - 06:00 PM

A lógica perversa

Inserido por: Administrador em 11/12/2014.
Fonte da notícia: Jornal Porantim - Edição Especial "NÃO à Economia "Verde"

 

"O aquífero Alter do Chão, que chega a 86 mil quilômetros cúbicos, possui quase o dobro da capacidade hídrica do Aquífero Guarani, com 45 mil quilômetros cúbicos. Sendo assim, ele atrai, inevitavelmente, a cobiça dos países do hemisfério Norte, que já não têm mais água para o consumo, e pode tornar-se a causa de enfrentamentos geopolíticos. Processo similar acontece no Oriente Médio, com disputas sangrentas pelo petróleo e gás natural."

 
mailIcon.png print.png
Por Amyra El Khalili

          Para entender como e por que o capitalismo verde avança sobre os territórios indígenas e das populações tradicionais é necessário reconhecer os paradoxos da água. Ou seja, a água é vida e morte, liberdade e escravidão, esperança e opressão, guerra e paz. A água é um bem imensurável, insubstituível e indispensável à vida em nosso planeta, considerada pelo Artigo 225 da Constituição Federal, bem difuso, de uso comum do povo.

         Nesse sentido, a recente descoberta do que pode ser o maior aquífero de água doce do mundo na região amazônica, o Alter do Chão, que se estende sob os estados do Amazonas, Amapá e Pará, exige atenção e cuidado por parte da sociedade brasileira[i].

         O aquífero Alter do Chão, que chega a 86 mil quilômetros cúbicos, possui quase o dobro da capacidade hídrica do Aquífero Guarani, com 45 mil quilômetros cúbicos. Sendo assim, ele atrai, inevitavelmente, a cobiça dos países do hemisfério Norte, que já não têm mais água para o consumo, e pode tornar-se a causa de enfrentamentos geopolíticos. Processo similar acontece no Oriente Médio, com disputas sangrentas pelo petróleo e gás natural.

         O controle sobre esta riqueza hídrica depende exclusivamente do controle territorial. As águas são transfronteiriças e avançam sobre os limites entre municípios, estados e países. O recorde histórico da cheia do Rio Madeira neste ano de 2014, que inundou cidades na Bolívia, além das trágicas inundações nos estados de Rondônia e no Acre, é um bom exemplo desta característica das águas.

         De modo geral, a água está sendo contaminada com a mineração e com o despejo de efluentes, agrotóxicos e químicos, e poderá ser poluída também com a eminência da exploração de gás de xisto, onde a técnica usada para fraturar a rocha pode contaminar as águas subterrâneas.

Terra à venda


         PG%2012_Tirinha.jpgSegundo estimativas de um relatório do projeto Land Matrix, que reúne organizações internacionais focadas na questão agrária, mais de 83,2 milhões de hectares de terra em países em desenvolvimento foram vendidos em grandes transações internacionais desde 2000. Os países economicamente mais vulneráveis da África e da Ásia perderam extensas fatias de terras em transações internacionais nos últimos 10 anos, sendo que a África é o principal alvo das aquisições, seguida da Ásia e da América Latina. Estas compras são estimuladas pelo aumento nos preços das commodities agrícolas e pela escassez de água em alguns dos países compradores, que o fazem para a exploração da agricultura, mineração, madeira e do turismo[ii].
 
        Outros países são alvos desta ofensiva fundiária, como a Indonésia, Filipinas, Malásia, Congo, Etiópia, Sudão e o Brasil, que teve mais de 3,8 milhões de hectares vendidos para estrangeiros somente nos últimos 12 anos. É importante salientar que, até aqui, estamos falando de terras que podem ser adquiridas, em tese, através da compra. Porém, as terras indígenas e de populações tradicionais são terras da União e, não podem ser negociadas e nem alienadas, pois estão protegidas por leis nacionais e internacionais.
 
        Acontece que são justamente estas as terras que estão preservadas e conservadas ambientalmente e são as mais ricas em biodiversidade, água, minério e energia (bens comuns). E, portanto, são nessas áreas que ocorre o avanço desenfreado do capitalismo verde que nada mais é que o velho e desgastado modelo colonialista, extrativista e expansionista neoliberal com uma roupagem atualizada, que visa a apropriação dos bens comuns. Esses bens são definidos como “recursos naturais”, assim como os trabalhadores são considerados pelo sistema como “recursos humanos”. Tudo neste modelo “verde” é usado ilimitadamente e no curto prazo.
 
        Essa concepção utilitarista do “capitalismo verde” já é confrontada com outros modelos de vida, como o Bem Viver, dos povos das florestas, a economia socioambiental, a economia solidária e a agroecologia, dentre outras que estão florescendo.

        Para a implementação deste modelo com purpurina verde, algumas leis estão sendo aprovadas com o claro propósito de beneficiar o mercado financeiro. Paralelamente, outras leis são desmanteladas para institucionalizar e legitimar a ocupação de estrangeiros, empresários e banqueiros em territórios latino-americanos e caribenhos, como é o caso dos direitos fundamentais dos povos indígenas, do Código Florestal e dos direitos trabalhistas.

Confundir para se apropriar      

         Desse modo, contratos unilaterais e perversos são assinados por atores com forças políticas totalmente desiguais, em que confunde-se, propositadamente, “financiar” com “financeirizar”.

         Aqui cabe uma elucidativa exemplificação: financiar é, por exemplo, permitir que uma costureira compre uma máquina de costura e consiga pagá-la com o fruto de seu trabalho, tornando-se independente de um empregador para que venha a ser empreendedora.

         Já, financeirizar é fazer com que a costureira endivide-se para comprar uma máquina de costura e jamais consiga pagá-la, até que o credor possa tomar a máquina da costureira por inadimplência (não cumprimento do acordo mercantil)

         A financeirização faz com que uma parte do acordo, a descapitalizada, fique endividada e tenha que entregar o que ainda possui, como as terras indígenas. E, assim, são desenhados perversos contratos financeiros e mercantis com a finalidade de vincular as terras ricas em bens comuns para que essas garantias fiquem alienadas e à disposição da parte mais forte: a capitalizada.

         Nestes termos, as populações indígenas e os povos das florestas deixam de poder usar o que lhes mantém vivos e o que preservam há séculos para as presentes e futuras gerações, as florestas e as águas, para que terceiros possam utilizá-los, além de que estes passam também a controlar seus territórios.

         É esta a lógica perversa do capitalismo verde, sustentado pelo argumento de que as florestas “em pé” somente serão viáveis se tiverem valor econômico. O que é uma falácia, pois valor econômico as florestas “em pé” e as águas sempre tiveram. O que não tinham, até então, era valor financeiro, já que não há preço que pague o valor econômico das florestas, dos bens comuns e dos “serviços” que a natureza nos proporciona gratuitamente.

         O capitalismo somente avança nas fronteiras que consegue quantificar. Porém, jamais conseguirá se apropriar do que a sociedade puder qualificar.

Amyra El Khalili é economista, autora do e-book Commodities Ambientais em Missão de Paz: Novo Modelo Econômico para a América Latina e o Caribe. Acesse gratuitamente em www.amyra.lachatre.org.br

 

 

 

(1) Aquífero na Amazônia pode ser o maior do mundo, dizem geólogos. 19 de abril de 2010. Disponível em: http://g1.globo.com/...m-geologos.html

(2) Revista Exame. Plantando no vizinho. 10 países que estão comprando terras estrangeiras aos montes.. 24 de maio de 2012. Disponível em:http://exame.abril.com.br/economia/mundo/noticias/10-paises-que-estao-comprando-terras-estrangeiras-aos-montes

No Brasil

CNBB divulga nota sobre a realidade atual do Brasil

Texto foi aprovado na reunião do Conselho Permanente, ocorrida de 10 a 12 de março, e tem o objetivo de alertar para o possível enfraquecimento do Estado Democrático de Direito, frente ao “delicado...

shadowBottom.png

Pela reforma do sistema político, movimento convoca população para mobilizações

Campanhas de assinatura estão entre ações da mobilização

shadowBottom.png

“Para populações carentes, perduram a colonização e a ditadura”, afirma Associação Juízes para a Democracia

Membros da AJD pedem efetivação de direitos humanos no Brasil

shadowBottom.png

Nota de Esclarecimento sobre acusações do GTA

Uma das denúncias apresentadas pelas lideranças indígenas em Brasília foi que o Projeto Carbono Florestal Suruí tem potencializado sobremaneira a divisão e o conflito interno entre os Suruí.

shadowBottom.png

Lava Jato: 16 ruralistas aparecem em lista de envolvidos no esquema de desvios da Petrobras

Puxa a lista o ex-presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), Luiz Carlos Heinze (PP-RS). Mais de 30 procuradores do MPF estão autorizados a investigar 47 políticos, operadores do esquema e...

shadowBottom.png


Edited by macaense, 23 March 2015 - 06:03 PM.

  • 0

#5 macaense

macaense

    Advanced Member

  • Members
  • PipPipPip
  • 7539 posts

Posted 23 March 2015 - 09:59 PM

http://engforum.prav...ed-by-macaense/


  • 0

#6 macaense

macaense

    Advanced Member

  • Members
  • PipPipPip
  • 7539 posts

Posted 24 March 2015 - 02:29 PM

(1) Aquífero na Amazônia pode ser o maior do mundo, dizem geólogos. 19 de abril de 2010. Disponível em:http://g1.globo.com/brasil/noticia/2010/04/aquifero-na-amazonia-pode-ser-o-maior-do-mundo-dizem-geologos.html

[1](2) Revista ExamePlantando no vizinho. 10 países que estão comprando terras estrangeiras aos montes.. 24 de maio de 2012. Disponível em:http://exame.abril.com.br/economia/mundo/noticias/10-paises-que-estao-comprando-terras-estrangeiras-aos-montes

Amyra El Khalili é economista, autora do e-book Commodities Ambientais em Missão de Paz: Novo Modelo Econômico para a América Latina e o Caribe. Acesse gratuitamente em www.amyra.lachatre.org.br

Publicado também em:

http://earthpeoples.org/blog/?p=6069

Capturado em 18/12/2014

Publicado em 17/12/2014

 

http://www.onortao.com.br/noticias/a-logica-perversa-do-capitalismo-verde,30676.php

Capturado em 13/12/2014

Publicado em 13/12/2014

 

http://www.onortao.com.br/noticias/a-logica-perversa-do-capitalismo-verde--prof-econ-amyra-el-khalili,30777.php

Capturado em 15/12/2014

Publicado em 15/12/2014

 

http://www.cimi.org.br/site/pt-br/?system=news&conteudo_id=7907&action=read

Capturado em 15/12/2014

Publicado em 11/12/2014

 

http://www.onortao.com.br/noticias/a-logica-perversa-do-capitalismo-verde--prof-econ-amyra-el-khalili,30917.php

Capturado em 17/12/2014

Publicado em 16/12/2014

 

http://www.revistareciclarja.com.br/news/a-logica-perversa-da-economia-verde/

Capturado em 22/12/2014

Publicado em 16/12/2014

 

http://pensarnetuno.blogspot.com.br/2014/12/a-logica-perversa-do-capitalismo-verde.html

Capturado em 18/12/2014

Publicado em 17/12/2014

 

http://blogdolobbo.blogspot.com.br/2014/12/a-logica-perversa-do-capitalismo-verde.html

Capturado em 21/12/2014

Publicado em 17/12/2014


  • 0

#7 macaense

macaense

    Advanced Member

  • Members
  • PipPipPip
  • 7539 posts

Posted 25 March 2015 - 12:12 AM

http://actualidad.rt...z-agua-recursos


  • 0




0 user(s) are reading this topic

0 members, 0 guests, 0 anonymous users

Copyright © 2020 Pravda.Ru